Cultura

Sérgio Camargo reage a ataques absurdos de deputada comunista

• Bookmarks: 7


Presidente da Fundação Palmares foi vítima de perseguição e calúnias disparadas por Jandira Feghali, radical esquerdista.

O presidente da Fundação Cultural Palmares, Sérgio Camargo, reagiu a ataques da deputada comunista Jandira Feghali (PCdoB-RJ). A parlamentar acusou Camargo de perseguir “figuras políticas negras só porque são lideranças de esquerda”. “Sergio Camargo é um símbolo do desastre que é a extrema-direita no poder. Persegue figuras políticas negras só porque são lideranças de esquerda. Camargo não tem legado, não trouxe perspectiva ou projeto para a Fundação. É apenas uma caricatura tentando agradar um séquito”, escreveu a militante revolucionária.

Camargo, por sua vez, lembrou que herdou a Palmares em péssimas condições e convocou Jandira a cuidar “dos pretos da sua senzala ideológica”. “Herdei a Palmares desmantelada após trinta anos de gestão irresponsável e criminosa da esquerda. Um negro livre, Jandirão, a tirou do gueto e da obscuridade. O Brasil sequer sabia de sua existência, para colocá-la a serviço do cidadão. Cuide dos pretos da sua senzala ideológica!” escreveu o reconhecido responsável pela instituição.

Nas últimas semanas, Sérgio Camargo tem tido decisões assertivas e muito bem fundadas, ao excluir nomes “famosos” da lista de Personalidades Negras reconhecidas pela Fundação Palmares. A última das excluídas foi a ex-senadora Marina Silva. Segundo Camargo, Marina “não tem contribuição relevante” para a população negra. Ainda no início deste mês, Camargo já havia anunciado a exclusão do nome da deputada federal e candidata à Prefeitura do Rio de Janeiro Benedita da Silva da mesma lista. “O nome da deputada Benedita da Silva (PT) foi excluído da lista de Personalidades Negras da Fundação Palmares. Benedita responde pelo crime de improbidade administrativa e seus bens foram bloqueados pela Justiça. O preto, o pobre e o favelado são as maiores vítimas da corrupção”, disse Camargo na ocasião.

Em reação à exclusão de seu nome, Benedita chamou Camargo de “capitão do mato”. O presidente da Palmares afirmou que pode processar a petista por injúria racial. Mais uma prova de que “raças” não significam caráter. Prova disso é, de um lado, um homem íntegro com um histórico impecável de grandes estudos, pesquisas, e feitos, e do outro lado, uma mulher corrupta, criminosa, e ativista de um regime genocida e assassino, a qual usa de seu tom de pele para vitimizar-se perante a sociedade. O belo e moral contra o ridículo e bizarro, aos olhos de toda a população.

7 recomendado
bookmark icon

Write a comment...

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *