Cultura

Programa da secretaria da cultura libera verbas para apoiar cinemas ameaçados pelos efeitos econômicos dos Lockdowns

• Bookmarks: 10


Importante iniciativa é responsável por beneficiar em torno de 600 salas cinematográficas, além de preservar mais de oito mil empregos diretos.

Ir ao cinema assistir uma comédia ou um filme de ação é uma opção de lazer que agrada brasileiros por todo o País. Porém, com as draconianas políticas de Lockdowns e Isolamentos sociais provindas dos governos locais, os cinemas ficaram fechados e sem público. Diante do risco de não resistirem e fecharem as portas de vez, a Secretaria Especial da Cultura liberou R$ 8,5 milhões em recursos federais por meio do Programa Especial de Apoio ao Pequeno Exibidor. O objetivo é preservar empregos e atender às pequenas empresas locais atingidas pelos efeitos econômicos do coronavírus. O programa já beneficiou 577 salas de cinema nas cinco regiões do país. A iniciativa é operada pela Agência Nacional do Cinema (Ancine), autarquia vinculada ao Ministério do Turismo.

A estimativa é que com o dinheiro liberado cerca de 8 mil empregos sejam preservados e as salas de cinema poderão continuar com suas atividades. O secretário Especial da Cultura, Mário Frias, afirmou que a iniciativa mostra o apoio do Governo Federal na preservação do setor audiovisual e da economia criativa brasileira. “Agimos rápido para atender essas pequenas empresas para que não fechassem seus negócios e pudessem manter os empregos de seus funcionários. Os recursos do programa serão fundamentais para que os cinemas voltem a levar entretenimento e cultura às pessoas quando for a hora de reabrir com segurança”, disse Frias.

As atividades artísticas, criativas e de espetáculos estão incluídas em portaria publicada no Diário Oficial da União, no dia 15 de setembro, que lista os setores da economia mais impactados após a decretação de calamidade pública decorrente do vírus chinês. Há de se destacar que a preocupação em proteger tantos segmentos (como o audiovisual) parte quase que inteiramente dos ministérios e dos órgãos ligados a presidência da República. Enquanto que os governos locais, totalmente “descolados” de suas obrigações, preocupam-se muito mais em promover seus parceiros políticos para as campanhas municipais. Afinal, os altos cargos da administração pública são mais importantes do que os empregos e o bem-estar da população brasileira.

10 recomendado
bookmark icon

Write a comment...

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *